CIDADES
INTERNACIONAL
quinta-feira, 17 de março de 2022
RIOVERDEMS | Por PORTAL RIOVERDE NOTICIAS

Caminhoneiro que arrastou casal em moto por 32 km há um ano não teve CNH cassada

 


Há um ano, no dia 6 de março de 2021, o caminhoneiro Jeferson Alves Soares arrastou a moto de um casal por 32 quilômetros pela rodovia BR-101, em Santa Catarina. Sandra Pereira, que tinha 47 anos, morreu, e seu marido, Anderson Pereira, de 49, ficou ferido.

O motorista cumpre prisão preventiva desde então, mas não teve sua CNH cassada. Ou seja, ele corre o risco de voltar para as ruas, caso seja solto em maio, segundo o portal UOL.O Detran-RS (Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul), onde a habilitação de Soares está registrada, afirma que eventual suspensão ou cassação da CNH “depende de processo administrativo, que deve cumprir os prazos previstos na legislação, respeitando o direito ao contraditório e à ampla defesa”.

Ao portal, o departamento não confirma nem desmente que a CNH siga válida, alegando respeito à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais.

Por sua vez, a Polícia Rodoviária de Santa Catarina disse que lavrou, no total, cinco autos de infração para o motorista envolvido no acidente, das quais duas dessas preveem como penalidade a suspensão do direito de dirigir. São elas: deixar o condutor de prestar socorro à vítima de acidente e dirigir sob influência de substância psicoativa.

O acidente

No momento da colisão, o caminhoneiro estava sob efeito de cocaína, de acordo com a PRF. Após arrastar a moto do casal por 32 quilômetros na BR-101, no trecho entre Penha e Itajaí, Jeferson deixou Sandra para trás, sem prestar socorro.

Seu marido, no entanto, desmaiou após a colisão, mas conseguiu acordar para tentar fazer o motorista parar o caminhão. Segundo testemunhas, o condutor tentou derrubar a vítima.Jeferson Alves Soares foi denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina por tentativa de homicídio triplamente qualificado de Anderson Pereira e homicídio com dolo eventual de Sandra Aparecida Pereira.

Ele então foi preso de forma preventiva no Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, em Santa Catarina, onde segue detido. Seu advogado Ruan Palhano da Silva afirma que a prisão será reavaliada no próximo dia 5 de maio.

“O Jerferson Soares é réu primário, sem antecedentes ou algo que apresente risco à sociedade. No entanto, por se tratar de um caso midiático, entendo que o juiz queira resguardar a imagem do judiciário. Por outro lado, se ele for solto, não há nenhuma restrição judicial sobre sua CNH, a menos que, como medida cautelar, o juiz apreenda o documento junto com a soltura”, disse.

Defesa pede exumação de cadáver

O advogado do réu diz que, enquanto aguarda o agendamento da audiência de júri popular, solicitou a exumação do cadáver de Sandra Pereira, pois haveria dois laudos médicos divergentes sobre a causa da morte.

“O primeiro diz que o falecimento da vítima foi causado por parada cardiorrespiratória. Já o segundo afirma que foi politraumatismo. Queremos investigar se há alguma doença prévia que possa ter causado a morte”, explica.

quinta-feira, 17 de março de 2022

TENDA ENERGIA SOLAR

https://picasion.com/

SUPERMERCADO BOM PREÇO

https://picasion.com/

RESTAURANTE IZABEL

http://picasion.com/

RioverdeRV