CIDADES
INTERNACIONAL
domingo, 18 de dezembro de 2022
RIOVERDEMS | Por PORTAL RIOVERDE NOTICIAS

Base de Alcântara lança foguete sul-coreano ao espaço na próxima semana

 


Conforme noticiado pelo Olhar Digital em maio, a startup aeroespacial Innospace, da Coreia do Sul, vai lançar seu primeiro foguete a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), espaçoporto da Agência Espacial Brasileira (AEB) localizado na costa atlântica norte do Brasil, no estado do Maranhão, também chamado de Base de Alcântara.

Boeing 747-400, da National Airlines, chegando ao Brasil com o foguete sul-coreano a bordo. Imagem: Innospace

O foguete chegou ao Brasil há duas semanas, trazido por um Boeing 747-400, a cargo da companhia norte-americana National Airlines, que pousou no Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado, em São Luís, na noite de 3 de dezembro.Em seguida, o foguete sul-coreano de cerca de 16 metros de altura chamado HANBIT-TLV seguiu para a cidade de Alcântara, a cerca de 30 km da capital maranhense, em uma viagem que durou 40 horas – entre trajeto fluvial e terrestre.

Saiba tudo sobre o lançamento

Quando será? A AEB havia informado que o veículo decolaria entre esta sexta-feira (16) e a próxima quarta-feira (21), a depender das condições climáticas. No Twitter da Innospace, no entanto, já existe uma data definida: segunda-feira (19), às 6h da manhã (pelo horário de Brasília). Segundo a publicação da empresa, não será possível fazer a transmissão ao vivo do lançamento devido a restrições de acesso à rede da base militar.


Por que a Base de Alcântara foi escolhida? Esta será a primeira vez desde sua inauguração, em 1º de março de 1983, que a Base de Alcântara vai sediar a decolagem de um foguete de uma empresa privada, colocando à prova o potencial do cosmódromo brasileiro para lançamentos espaciais.

Vantagens do Centro de Lançamento de Alcântara:

  • Base de lançamento mais próxima da Linha do Equador (apenas 2 graus e 18 minutos), fazendo com que os voos partindo de lá cheguem mais rápido ao espaço devido à velocidade de rotação da Terra, o que gera economia de até 30% combustível;
  • A disposição da península de Alcântara permite lançamentos em todos os tipos de órbita, desde as equatoriais (em faixas horizontais) às polares (em faixas verticais), e a segurança das áreas de impacto do mar que foguetes de vários estágios necessitam;
  • Não há tráfego marítimo e aéreo, oferecendo segurança e proteção, principalmente por estar fora de áreas residenciais;
  • O clima estável, o regime de chuvas bem definido e os ventos em limites aceitáveis tornam possível o lançamento de foguetes em praticamente todos os meses do ano;
  • Devido a essas características, é o único concorrente à altura do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa.

Qual é o objetivo da missão? Esse será o primeiro voo de teste suborbital para validar o motor de primeiro estágio do HANBIT-Nano, um pequeno lançador de satélites da empresa capaz de transportar uma carga útil de até 50kg para uma órbita polar (que cruza os polos do planeta), a aproximadamente 500 km de altitude.

De acordo com o site SpaceNews, a Innospace assinou um acordo com o Departamento Brasileiro de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) para lançar o Sistema de Navegação Inercial (SISNAV), projeto que tem o apoio da AEB e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), sob a supervisão da Força Aérea Brasileira.A carga é um dispositivo de navegação que usa um computador e sensores de movimento e de rotação para calcular continuamente a posição, a orientação e a velocidade de um objeto em movimento, sem a necessidade de referências externas. 

Segundo o porta-voz do Innospace, Kim Jung-hee, a carga não será implantada no espaço nesse lançamento de teste. “O lançamento do teste permitirá que a DCTA verifique se o sistema de navegação inercial opera adequadamente em condições específicas, como vibração, choque e alta temperatura que ocorrem em todo o processo desde a decolagem e durante o voo”, disse ele. “Se o lançamento de teste do HANBIT-TLV for bem-sucedido, começaremos a nos preparar para um lançamento de teste de Hanbit-Nano”.

Futuros lançamentos espaciais da Base de Alcântara

No ano passado, o governo federal e a Força Aérea Brasileira (FAB) divulgaram que quatro empresas estrangeiras foram selecionadas para operar em Alcântara. Dessas, apenas uma já firmou acordo, além da Innospace: a canadense C6 Launch Systems, que deve começar a operar em meados de 2023.

A Virgin Orbit, do bilionário Richard Branson, está ainda em fase de negociações, bem como a Orion Applied Science & Technology (Orion AST), dos EUA, que pretende fazer uso do nosso espaçoporto a partir de outubro do ano que vem.

domingo, 18 de dezembro de 2022

Livro

PROMOÇÃO OK NET

M

OK NET RIO VERDE

http://oknetms.com.br/

SUPERMERCADO BOM PREÇO

https://picasion.com/

RESTAURANTE IZABEL

http://picasion.com/

RioverdeRV