CIDADES
INTERNACIONAL
domingo, 10 de julho de 2022
RIOVERDEMS | Por PORTAL RIOVERDE NOTICIAS

Justiça libera empreendimentos hidrelétricos na Bacia do Alto Paraguai

 


O juiz da 2ª Vara Federal de Campo Grande, Yuri Guerzé Teixeira, aceitou nesta quinta-feira (7) a proposta da Procuradoria Geral do Estado de Mato Grosso do Sul (PGE-MS) referente à liberação dos empreendimentos hidrelétricos que estavam em desenvolvimento na Bacia do Alto Paraguai, mantendo o direito aos órgãos administrativos de meio ambiente, como Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) de conceder licenças ambientais a empreendimentos hidrelétricos no local.

A ação havia sido proposta 10 anos atrás, em 2012. Na época, 126 empreendimentos hidrelétricos já estavam instalados na Bacia do Alto Paraguai, que se encontra nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Dentre eles, 10 usinas com potência superior a 30 MW, 106 PCHs de 1 – 30 MW, 10 centrais geradoras de hidroeletricidade, 44 empreendimentos em fase de instalação e outros em vias de implantação.

A Procuradora do Estado, Senise Freire, que também é coordenadora jurídica da PGE na Semagro, explica:

“Ele (o magistrado) entendeu que os órgãos ambientais enfrentam a utilização de potencial hidrelétrico na bacia do Paraguai de forma bastante pró-ativa. Existe estudo para impacto ambiental bastante cumulativo e sinérgico, e significa que não existe uma desídia do poder público, e que não há uma previsão em lei dos instrumentos que os ministérios públicos queriam impor”. Senise atuou diretamente na ação, ajuizada em 2012 pelos ministérios públicos Federal e dos Estados de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, contra os órgãos federais de meio ambiente, e destes dois estados.

Na ação, os três ministérios públicos foram a favor de condenação solidária dos réus para que providenciassem uma avaliação ambiental estratégica para que fosse liberada a produção de energia elétrica na bacia.

O magistrado atendeu a tese da PGE-MS e entendeu que todos os órgãos envolvidos no licenciamento ambiental já respeitam o meio ambiente, o desenvolvimento econômico, e não há necessidade de que só sejam expedidas as licenças após avaliação ambiental estratégica. Ainda segundo o juiz, cada órgão, de acordo com sua competência, já exige estudos que dão segurança jurídica para que esses empreendimentos sejam licenciados.

domingo, 10 de julho de 2022

OK NET RIO VERDE

http://oknetms.com.br/

SUPERMERCADO BOM PREÇO

https://picasion.com/

RESTAURANTE IZABEL

http://picasion.com/

RioverdeRV