->
CIDADES
INTERNACIONAL
domingo, 20 de agosto de 2017
RIOVERDEMS | Por PORTAL RIOVERDE NOTICIAS

Manobra dos EUA pode resultar em combates, diz Coreia do Norte


A Coreia do Norte afirmou neste domingo (20) que as manobras militares planejadas pelos Estados Unidos e Coreia do Sul, que devem começar nesta segunda (21), "jogarão gasolina na fogueira" em um momento de tensão entre Pyongyang e Washington.
"Estas manobras são a expressão mais explícita da hostilidade em relação a nós. Ninguém pode garantir que os exercícios não resultem em verdadeiros combates", afirma um editorial do jornal "Rodong Sinmun", do regime norte-coreano.
Em julho, a Coreia do Norte realizou testes de mísseis intercontinentais e alavancou a tensão com os EUA. Dias depois, o presidente norte-americano, Donald Trump, chegou a dizer que o país vai responder com "fogo e fúria"caso Pyongyang faça novas ameaças.
O regime norte-coreano, então, ameaçou lançar mísseis na direção da ilha americana de Guam, no Pacífico. Pouco depois, o ditador do país, Kim Jong-Un, suspendeu o projeto, mas advertiu que a execução dependeria do comportamento de Washington.No atual contexto, Coreia do Sul e EUA iniciarão nesta segunda os exercícios conjuntos anuais, durante os quais milhares de soldados treinarão para proteger o território sul-coreano de um eventual ataque norte-coreano.
A cada ano, Pyongyang –que considera estas manobras uma provocação e um teste para a invasão de seu território– ameaça com represálias militares.
"Se os EUA se perderem na fantasia de que uma guerra na península aconteceria na porta de outro [país], longe deles, estão mais equivocados do que nunca", diz outro trecho do editorial.
'MAIS GRAVE DO QUE NUNCA'
Apesar das ameaças norte-coreanas, o Departamento de Estado dos EUA anunciou que a operação acontecerá como previsto.
Washington se negou a informar se o Exercício será menor para não exacerbar as tensões, mas o ministério sul-coreano da Defesa anunciou a participação de 17.500 soldados, uma redução significativa na comparação com 25.000 envolvidos nas manobras do ano passado.
Ao mesmo tempo, o general Jeong Kyeong-Doo, comandante do Estado-Maior das Forças Armadas sul-coreanas, considerou que a situação atual é "mais grave do que nunca".
"Em caso de provocação do inimigo, [nosso Exército] tomará medidas de represália fortes e determinadas para fazê-lo lamentar amargamente", disse.
Quando Kim Jong-Un adiou o plano Guam, ele exigiu que Washington interrompesse as "arrogantes provocações" na região.
Reuters
The intercontinental ballistic missile Hwasong-14 is seen during its test launch in this undated photo released by North Korea's Korean Central News Agency (KCNA) in Pyongyang, July, 4 2017. KCNA/via REUTERS ATTENTION EDITORS - THIS IMAGE WAS PROVIDED BY A THIRD PARTY. REUTERS IS UNABLE TO INDEPENDENTLY VERIFY THIS IMAGE. NO THIRD PARTY SALES. SOUTH KOREA OUT. ORG XMIT: GDY104
O míssil intercontinental Hwasong-14 é lançado em teste norte-coreano em julho
domingo, 20 de agosto de 2017

SUPERMERCADO PANTANAL

http://picasion.com/

RioverdeRV

LOJA QUEIMA TOTAL


http://picasion.com/

BARRACA DO PINHEIRO



http://picasion.com/

SUPERMERCADO PONTO CERTO

http://picasion.com/

MERCEARIA NOVA CANAÃ

http://www.rioverdems.com/

LOJA TÔ NA MODA

http://picasion.com/

MERCEARIA TUNTUN

http://picasion.com/